Monday, 20 April 2009

...e no meio daquela noite estrelada, vazia de certa forma se estivéssemos lúcidos o bastante, me encantava na medida em que tu entravas e saías da minha mente, da minha pele, do meu querer, meu saber e sofrer, tu conseguiu mandar para longe mas não, não por muito tempo.

As portas das casas batiam e eu sabia também que o mundo lá fora estava ansioso, nervoso, pedindo por algo. Mas o que? 

Me perdi por entre tuas mãos e minhas mãos perderam-se nos teus caminhos também e não estávamos mais dispostos a pensar no que seria racional no momento.

E o day after? É sempre difícil. É sempre uma incógnita. Mas minha amiga, já acostumei-me. Aproveitei-me do frio da atmosfera e me pus a andar, para longe dos domínios do que as pessoas costumam chamar de amor.

1 comment:

Mr. Rickes said...

O mais legal de acompanhar teu blog é que parece um série de livros, onde sempre o desejo de saber o que vem depois prevalece!

0/