Thursday, 29 January 2009

Alguns feixes de luz entraram pelos furinhos das persianas. E isso fez com que um desses raios iluminados, iluminosos fossem direto ao encontro de seu olho. Piscou uma ou duas vezes, sabe lá, a gente nunca conta quantas vezes pisca. Olhou pro lado e lá estava ele. Lá estava ele!!! Com o rosto enfiado no travesseiro, um braço encobria seus lábios, ela só conseguia ver seus olhos fechados e os cabelos, enredados numa perfeição de dar inveja. As costas descobertas e então ela acompanhava aquela respiração (sinfônica, sincrônica) perfeita, matinal. Chegou pertinho de seu nariz e encostou o seu. Fez um "beijinho de esquimó" e então, sentou-se ao lado da cama e se pôs a pensar.

Quanto tempo fazia? Um mês? Dois meses? Não, um pouco mais do que isso desde a primeira noite estrelada juntos. A diferença é que naquele dia os dois não foram parar nos mesmos lençóis em meio a beijos e abraços e apertos e afagos e suspiros e gemidos. 

Olhando-se no espelho sentia-se a mulher mais realizada da face da terra e pelo espelho conseguia ver refletido ali o homem deitado naquela cama pela enésima vez. Era sempre assim, era necessário só um olhar, eram feitos um para o outro, fazer o que? As moléculas de carbono dele chamavam as moléculas de carbono dela bem como todas as outras moléculas de outros elementos químicos se atraíam. Sifonia, sincronia.

Então, foi até a cama novamente, o dia estava bem mais claro e o quarto estava bem mais iluminado. Sentou-se ao lado dele, inclinou-se um pouco, apoiou-se sobre seu braço direito. E começou a observá-lo. Chegou pertinho só pra ouvir a canção do seu inspirar/expirar. Encostou sua testa na dele, talvez com muita força, pois o anjo pôs-se a mexer-se e a espreguiçar-se. 

Abriu os braços, piscou uma ou duas vezes... ela também não conseguira contar quantas vezes os olhinhos miúdos piscaram. E ele sorriu. E então, aquele foi um bom dia.

5 comments:

Rhero said...

adorei esse texto...já tava ficando sem ar...pensei até que ele acordaria....tive aquela sensação de amor adolescente...bons tempos...

Freak said...

era essa a intenção...e na hora que ele acorda, o conto acaba, então tudo fica a critério da imaginação :)

Mel said...

ah, o amor.
Nada melhor para começar um bom dia.

Dania said...

É o amor...
nossa deu vontade de conhecer esse sujeito pela descrição
heheheh

Rody Cáceres said...

o comentário do Rhero é meu...é que tava no PC dele...desculpe ehh