Tuesday, 16 February 2010

E o vazio, segue crescente. Não apenas aquele impulsionado pelos ventos que provocam as nuvens, não esse. O vazio existente no grito da multidão. O vazio dos espaços cheios no dia-a-dia corrido, onde as pessoas caminham para lá e para cá, numa busca que a gente nem sabe qual, mesmo que fôssemos nós os que estivessem alucinados, procurando esse algo.
Pelo menos, meu quarto está arrumado. Trato-o como parte de mim, como extensão do meu corpo. Se está arrumado, é sinal de que as coisas podem ainda estar um pouco dentro de controle. Sei que a rotina, a mesmice nunca foi emocionante nem apaixonante, mas com o tempo aprendi a me apaixonar por rotinas e desejá-las infinitamente. Porque até o mesmo nos traz algo de novo. E quando tu encontras isso, é maravilhoso.

No comments: