Monday, 24 August 2009

basta que teus olhos me ceguem
tua mão me arranque e a tua boca me consuma
o destino voraz, aturdido
passa correndo pela madrugada
exala então o sentimento uma vez perdido
no teu reflexo então encontrada

ora doce, ora faminta
não se sabe ainda o que da vida quer
ora sagaz, ora ferida
é o ser em ser
e não de quem a bem quiser

não se trata de ser bem quisto
visto
escrito
vivido

se trata de se perder
perder
doer
doer...

sofrer.

1 comment:

Ian Lehmann said...

"in our heavenly rapture we die on and on"(...)