Wednesday, 1 July 2009

Poema da volta (à escrita)

Dizem os anjos deprimidos
Que existe brilho no meio da penumbra
Proferem cantos que parecem prantos
Uma alma afoita, se deslumbra

Vozes de anjos que me atormentaram
Calam-se surpresos pelo sol
Da vida conservo a determinação
Meus sonhos ainda não definharam

E se meu versar repentino (repetido)
É digno da questão
Quem será?
Calmamente te respondo

É para quem um dia
Está por chegar.

2 comments:

Delírios Cotidianos said...

É minha cara, somos todos anjos da noite, impregnados pela necrose dos desafetos. A luz do sol nos assusta (no sentido metafórico), e nos é difícil a convivência com a mesma. O que resta é tentar...

_Gio_ said...

Olha, a pessoa que tinha me adicionado no Orkut hauahuahuhaa

Todos buscamos essa luz no meio da penumbra, a luz no fim do túnel, um sonho perdido cujo desejo de realizar ainda não cessou.

Só assim para escapar da "vida real"...