Saturday, 28 March 2009

E eu gosto da tua companhia
Gosto da tua presença meio que na espreita
Meio que no silêncio e totalmente na perdição da noite

Cantamos, rodamos e pensamos em como seria a vida se o mundo fosse de tal ou tal jeito. Pensamos juntos e fazemos todo o resto unidos, porque é assim que tem que ser.

Nossos mundos são iguais mesmo sobre viéses diferentes

Eu caminho na superfície do mar agitado
Tu te entregas à depressão, consternado.
E eu entregaria a minha vida
Minha vida futil e vazia
A qualquer anjo no céu estampado 
Para ter tua companhia de fato
Aqui, do meu lado

E quando tu vens
Eu calo, eu paro, eu viajo
Não tenho coragem
Não sei o que imaginas tampouco alguém pode saber
Tu me alucinas
Tu me fazes cada dia mais te querer.

Me perco em palavras soltas
Que na minha mente rodopiam
E no papel se entrelaçam
Para formar uma reza 
Que sigo a rezar em devoção


ps: poema escrito em: domingo, 15 de março de 2009, 00:18:23 segundo o bloco de notas. 

3 comments:

Mr. Rickes said...

Grande Bloco de notas!

0/

Esse bloco vai ter coisas que até Deus duvida.

Ahh e o poema?
Lindo, sempre...

=D

Silvana Bronze said...

"para qualquer anjo no céu estampado". Porque não pensei nisso!!!
Que lindo suelen, já to virando tua fã.

Evil Dead said...

Você possui um "muso inspirador", as vezes fica até chato de ler sempre a sua idolatração ao mesmo. As vezes é intocável ao saber se a sua adoração vislumbra a manifestação .... espero que sim.