Wednesday, 11 February 2009

...e sinto-me tão capaz de me dar, de me doar inteira pra ti em ti em teu corpo todo pra mim que nem penso se haverão consequências trágicas.

Só sei que nesse momento eu preciso tanto inspirar o teu cheiro profundamente até que o mesmo chegue até os limites da minha pele e viajemos assim por um caminho de ida sem volta, de perdição encontrada, de maldição abençoada.

E eu me enrosco no teu corpo todo, me prendo no teu cabelo, e meus braços em volta do teu pescoço eu sou assim, pra ti, toda, inteira, tua e agora vem e me toma como quem pega um punhado de areia na praia ou como quem toma um gole d'água direto da fonte. Me pega, me passa daqui pra lá, de lá pra cá, me entrega, me venera, me delira, me vira do avesso, me faça. Eu só preciso é que alguém me verbalize, pra que eu nunca deixe de ser, de fato...

3 comments:

Mr. Rickes said...

Adorei essa!

MUITOOO BOM!

Rody Cáceres said...

deve ser um saco encontrar, todos os dias, comentários parecidos...queres que eu diga o quê?Ah! Precisamos do blog do grupo...InventArt

Mel said...

Saudades de passar aqui.
Como sempre, lindo teu texto.