Friday, 15 August 2008

I refuse to let me die

Passei um bom tempo em off...tá, oukay, eu postei algumas vezes no blog nem que fosse um "oi tudo bem" ou um "oi tudo ruim". Mesmo assim eu tava em off, eu tava em outra. Tinha entrado em outra dimensão.

Eis que estou de volta à mim mesma e ao mesmo tempo parece que o fiozinho que me prende é tão fininho...força nele então!

A minha vida tá cheia de coisas...talvez assim compense o vazio que sinto todos os dias quando vou dormir. Faço um balanço geral do dia e fico pensando na realidade. Se tirarmos tudo, todas as idealizações e ilusões que fazmos do mundo, o que sobra? Às vezes quando minha parte real tá malvada, ela me diz que não sobra nada...que não tenho nada...mas acho que tenho algo sim.

Essa semana começaram as duas optativas de inglês, e tá sendo bem legal. Até criei um blog em inglês para ver se pratico mais o writing e interajo com o pessoal around all over the world.

Ah, eu, o Le, o Zé, a Ana, Déia e Jouber participaremos do Movimenta FURG dia 20...vamos divulgar o RPG, acho que vai ser bem legal. Eu tenho ficado bem distante do blog, confesso...só que eu não tava legal pra essas coisas. E acho que ainda não estou totalmente. Mas o RPG é ótimo e eu espero melhorar para produzir mais.

É isso.

3 comments:

Andréia Alves Pires said...

su, essa fase cinza passa! e volta.. e passa de novo! Mas cada refresco que tens voltas melhor e mais firme, e cada vez mais criativa. Concordo contigo sobre o RPG.. vamos apostar nesses dados de papel.. :P bjo, bjo!

Bölverk said...

Oi moça! ^^
Sou amigo do Jouber, e através do RPG (e dele) descobri teu blog! Então, passeei por alguns posts antigos até dar uma travada básica. Achei bem legal, viu?! =D
E quanto ao vazio que sentes (se é que me cabe a comentar), é normal quando pessoas idealizadoras vivem em sociedade.
O pior é que, às vezes, este próprio convívio aparenta ser o algo que nos sobra, uma vez que as ilusões e as (tão queridas) idealizações falem. A convivência, as histórias e nossa postura diante a tudo, a qual deve nos orgulhar de nós mesmos, ou ao menos assim esperamos :p hehehe. Aprender com cada fase que tenhamos, nem que seja um aprendizado ‘’babaca’’. Essa sensação de ter feito valer a pena cada momento, bom ou ruim: no fundo, é o que se leva da vida.
E isso preenche mto bem um vazio interior! ;)
Bjos e parabéns pelo blog! Achei bem bacana!
Boas optativas pra ti o/

Marina said...

Ei, parabéns pelo projeto do Role Poetic Games. Soube que foi você quem teve a idéia. Soube da entrevista de hoje também. É um projeto muito interessante e eu já sou fã.

Abraço!!