Monday, 27 June 2011

Sem marcas

Minha existência me define, meu dia após dia. Meu acerto, meu erro. Os momentos de orgulho e os de apelo. Não existe marca nenhuma que aqui se imprima. Não sou isso nem aquilo, sou uma estrada em construção contínua, procurando sempre qual é o melhor lugar para continuar o caminho. Não me cabem críticas e nem elogios pois a vida não é linear, a vida é sem patamar.

Se recomponha, respire fundo. Encontre dentro de si aquilo que falta. Pois sim, falta algo. O mundo quer as marcas. As definições bonitas. As funções que nem sempre têm importância. Sou "isso", sou "aquilo". Sou um ser em plena existência. Não me cabe criticar nem elogiar. Senão viver.

1 comment:

Ian Lehmann said...

"Em cada momento de minha existência, embora seja uma totalidade, manifesta-se uma parte de mim como desdobramento das múltiplas determinações a que estou sujeito" (Ciampa, 1987)