Saturday, 6 November 2010

If I decide to recognize my thorns... (Asylum, Silverchair)

Um ponto qualquer preso à tela me faz preencher todo o vazio. Nesses últimos dias pensei em tantas mas tantas coisas! No momento em que vivo, tudo parece certo e natural. No momento que penso sobre tudo... nos padrões. Não tem padrão nenhum e parece que me jogo de um lado para o outro sem ter um lugar só meu nem mesmo dentro da confusão que se arma na minha cabeça. Mas está tudo cheio, completo e me corta o coração ver que até feliz sou triste. Tudo bem ser uma constatação pessimista, tá tudo bem! E nem me considero primeira e única criatura no mundo a sentir-me assim. A questão toda é quando a pessoa cai em si e repara como as coisas são, ela já não sabe mais se finge que não sabe o que sabe ou se sabe e encara tudo ou acaba, ou tenta seguir a vida como está. É um não saber ciente que se instala e causa tanto incômodo.


E quem é tão corajoso a ponto de desistir, nesse estágio da ponte?

1 comment:

Paulo Olmedo said...

freak emo strikes back (fosse elogiar, viu? :P)
ó, para com esse negócio de querer chutar o baldinho. tu sabe que eu tenho experiência nisso e te digo, sempre rola um arrependimento. às vezes duradouro. nem sempre as coisas vão ser uma maravilha, mas as coisas hão de melhorar. Tu é uma guria jovem (vou me arrepender de ter dito isso ainda :D), inteligente, com muito futuro pela frente. Chin up! :)