Thursday, 11 February 2010

...e quando me apaixonei, tão intensamente, até de poetar desisto.

porque eu não rimaria, eu não formaria estrofes, nada, tudo seria um nada, afinal.

porque as palavras se repetiriam, e formariam um círculo, e de novo, nada haveria.


2 comments:

Faith said...

Aiii, que lindo *-* Incrível como quando a gente se apaixona, fala coisas, diriamos assim... Que não falaríamos se não estivéssemos apaixonadas. haiushiuahush
Acho que quando há o amor, as palavras ficam em segundo plano. :)

Amei teu blog! Bjs :*

Everton Merlin said...

Olá moça, andei meio ausente do blog por uma série de motivos, mas estou retomando as rédeas gradualmente.

Andas escrevendo diferente, como nunca antes, e isso me agrada, é a prova cabal que a qualidade aumenta e a evolução poética também, dada a tua forma de expressão simples e direta.

E passo um trabalhão cada vez que tento escrever assim!hehe!


Valeu pela visita e o coment, é sempre bom ver pessoas amigas visitando meu humilde e maldito domínio.


Hasta Luego!