Monday, 11 January 2010

sentindo o amor que aflora na pele
mas não como pétala que repousa na derme
apenas o fisgão da navalha, cravando profundamente
e a dor mistura-se com o rubro líquido amoroso
misturados tão sentimentais se diluem
e se entrelaçam intimamente
amor é sentimento dúbio
que quando nos faz cair, ao mesmo tempo fortifica
e no próximo passo há força para pular
mais uma nuvem, um obstáculo, para procurar enfim
o ouro que se esconde no final do arco-íris.

1 comment:

Phyhernandes said...

Por isso sou uma romântica assumida. Justamente pelo seu jogo duplo,por ser ele pétala e espinho.
Ou por ser uma maluca, talvez.