Monday, 13 July 2009

objeto indireto da minha sentença sem complemento
meu copo vazio em dias de alento
onde só te encontro quando me olho no espelho

2 comments:

Delírios Cotidianos said...

É, sem dúvida esse poema é interminável!!hehe!!e cheguei a conclusão de qeue para a mente não há limites para definições!!um dia ainda escreverei um poema interminável!!hehe!!

ricardo ara said...

foda esse garota