Saturday, 21 March 2009

Então, outono.

Até meu rosto chega o ar pesado e sombrio juntamente com as folhas secas e amareladas. Alguém rasteja por debaixo da minha pele, alguém incita o meu olhar. Então, hesito.

Se não colher essas últimas flores com cheiro forte de alguma coisa que já morreu, provavelmente morrerei junto com elas. E acabarei como as folhas...amarelada e seca. Então, persisto.

E ele passa lentamente o algodão embebido no álcool sobre as minhas feridas, a fim de torná-las limpas, secas, passadas. Enquanto isso, ele sequer olha no meu olho, mas algum fio, está para nos ligar. Então, repito. 

Persisto, insisto, respiro, vivi, morri, sofro, morro, corro, fujo, aahh esse mundo precisa acabar.

3 comments:

Felipe Tramasoli said...

esse mundo nao vai acabar até que eu vingue.

Evil Dead said...

Muito bom.

Mr. Rickes said...

De volta \0/

Tambem quero alguém que limpe minhas feridas.

:)