Tuesday, 17 February 2009

Eu não sei se é indelicado ou apressado mas eu acho que deveríamos nos conhecer melhor. Como? Ah, tu sabes. Desse jeito que as pessoas acabam se conhecendo. Tu sobe comigo no meu apê e a gente toma uma cerveja, bem não estou certa se ainda tenho cerveja na geladeira, mas qualquer coisa a gente vai na venda e compra alguma coisa.  A questão é que estou realmente empolgada porque eu quero te conhecer. Tá, eu sei que a gente já se conhece. Sabemos o nome um do outro, a idade talvez, e umas coisinhas só que não é nesse sentido, saca? 

Eu quero te conhecer mesmo. Saber qual teu signo, com ascendente em qual outro signo. Quero saber se tu eras muito peste quando eras criança, se tu repetiu a quinta-série (ou qualquer outra), se tu já ouviu pagode, se tu já saltou de pára-quedas... 

Ei, como assim perguntas malucas? São perguntas totalmente plausíveis uma vez que eu quero te conhecer, te puxar aí de dentro e olhar o avesso, portanto, prepare o seu verbo porque a noite vai ser longa e a cerveja vai ser pouca.

Tá, tu tens o direito de me perguntar algo também. Manda. Hãn? Por que justamente TU? Ah, e tu achas que tenho alguma noção disso? É tu porque eu gostei de ti logo assim de primeiríssima quando pus os olhos em ti e não é de hoje. Mas sabe como é, a gente só observa as pessoas superficialmente e hoje eu tô afim de ir fundo nesse oceano. Mais perguntas? Ah bom. Ok, eu posso ser a garota mais maluca que você já ousou conhecer na vida mas é que agora me deu uma vontade de fazer tudo diferente.

Seria bem legal saber se os nossos lábios são compátiveis, se o nosso beijo encaixa de primeira ou precisa de treinamento a longo prazo. Seria interessante deitar na grama contigo, do teu lado e olhar as estrelas e falar qualquer coisa que fosse muito muito absurda, só pra que tu continuasses me olhando do jeito que estás fazendo agora e me dizendo pra ficar e perguntar mais e mais...

2 comments:

Giliard said...

Incrível como fostes imagética no teu convite ao conhecimento. Ainda que não fosse pra mmim, cheguei a ver as estrelas, sentir o cheiro da grama e ver o teu sorriso. Meio louca, é verdade, mas liberta.

César said...

"Freak" indaga sobre pára-quedas (ela se encontra "in the sky", lembram?) mergulhando nas profundezas do ser. "Freak" (sky)diver ... se queda livre. Para quedas? Reerguer-se ... como um ponto interrogativo, cabisbaixo, cansado, para finalmente formar uma exclamação!