Sunday, 8 February 2009

Concordância não verbal

Sim, eu concordo plenamente contigo quando me dizes que essa não é uma atitude cabível, não é algo esperado de uma pessoa de meu nível mas aconteceram coisas que me fazem ter o direito de tomar atitudes descabidas. E em virtude de muitos fatos eu me sentiria até na vontade (pois direito eu não tenho) de proferir alguns belos palavrões ou algo do gênero. Contra quem? Contra ti? Não, eu jamais faria isso.

Sempre quis deixar claro que foras o culpado de todo o encantamento mas na realidade o maior culpado fora o teu perfume e teu olhar e isso nada tem a ver contigo em síntese não? São apenas frações de ti mesmo que implicavam comigo a todo momento e então dentro da minha cabeça extremamente racional eu fingia algumas coisas porque precisava me sentir igual a todo mundo, não por questão de mudar minha essência pra me igualar a qualquer grupinho mas simplesmente e unicamente para me sentir mais... humana.

Na hora nada senti, acho que estava tão entorpecida pelo efeito das luzes em volta que eu nem percebi nada. Nada senti, eu consegui sorrir até. Fora uma situação deveras boa porque não tencionava nada em relação a ti. Não mesmo, podes ter certeza disso.

Só que o day after é sempre o pior. É o lance do soco no estômago, tiro no braço, lâminas no pulso, tudo bem mortal e sangrento porque o que haveria de ser do amor desfeito se não fossem as suas consequências trágicas? Não existe dor de amor sem um pouco de lirismo fantástico que o mantém envolto.

E se falo tanto assim sem parar, se converso tanto assim via telepatia de mão única contigo não é porque eu queira respostas. É só pra que o teu alterego descubra que eu realmente não ligo pra isso. Meu Deus eu não ligo mesmo! Por que não me acreditas?
Me digas que parte tu perdestes? Nunca tivemos nada para lamentar, o que tivemos foi coisa daqui da minha cabeça, eu confundi sentimentos, enfiei os pés pelas mãos again and again, tá certo? Foi isso. Não exija-me isso como resposta estando perfeitamente posicionada bem na tua reta enquanto me olhas com ai que ódio, esses olhos aí! Caidinhos, como quem tenta entender o por que do céu ser azul. É azul porque sim e eu tô assim porque sim! Coisas que a ciência não pode explicar, pelo menos a ciência não pode ME explicar, procure no Google sobre céus azuis. Procure algo sobre corpos agarrados perfeitamente alinhados em noite de estrelas. Vamos, procure, eu te desafio!

Pois eu estou saindo agora dos limites da tua compreensão, da minha compreensão eu já joguei todos os livros pro alto, rasguei as páginas e escolhi letras aleatoriamente só pra dizer que nesse curto espaço de tempo a única coisa que eu fiz foi te amar. 

No comments: