Friday, 27 February 2009

Antropologia do consigo mesmo.

Coloquei-me em meus braços e me pus a chorar. Sim, a identidade 2 cuidava da identidade 1 porque não sobrou ninguém no mundo para dar um afago nos meus cabelos. Ninguém pra me olhar e sorrir, simples assim para olhar e sorrir e sentir aquela coisa que só as pessoas que enxergam um sorriso real sentem...

É todo um processo. Primeiro, você escala. Talvez em um momento ou outro de vaidade, sei lá. Perde alguns quilos, o pessoal diz que você tá ma-ra-vi-lho-sa e sim, você corre para o topo porque pensa que lá é o seu lugar.

Mas os dias passam e o poço é paciente. Ele não precisa ir até você porque sabe que daquela altura, chegarás rapidamente até ele. O poço então permanece estático, apenas preocupando-se em conservar a escuridão, pra te devorar rapidamente e dolorosamente como alfinetes pelo corpo inteiro.

Tu entendes o que eu tô falando? Provavelmente não. Ahh se eu pudesse te perturbar com esses assuntos de tanta irrelevância para o teu mundo algodão doce amarelo... mas não devo. Seria muita petulância colocar toda a minha tragédia, todo o meu drama dentro desse teu mundo preto e branco/colorido, amor, frissom, tudo junto. Teu alto e o teu baixo, teu timbre de voz mudando, tu, todo mudado, dos pés à cabeça. De braços abertos, querendo abraçar meus problemas. Não... justo jamais seria, mas me faria um bem. Iluminaria um pouco o poço fundo. 

É assim mesmo que as coisas acontecem honey. É um minuto e meio para que surjam mil e quinhentos pensamentos que antes estavam perdidos e agora continuam perdidos, mas nessa folha de papel amassado. 

Eu te dou meus braços para que possas cortar-me o quanto quiseres, mas antes eu vou mergulhar, vou mergulhar em ti... processo de criação, saca? Nem é criação, é esculpir mesmo. Ainda não sei em quais partes eu vou mexer mais, talvez essa tua perfeição disforme me incomode. Mas eu quero. Tudo que me incomoda me desafia e me empurra pro melhor, me empurra pra vida. 

5 comments:

César said...

Keep walking ... Freak Skywalker ...

César said...

... E que a força esteja contigo ...

César said...

Stars and diamonds are beautiful and shine forever. By the way, the stars are free...

César said...

...

Mel said...

"Eu te dou meus braços para que possas cortar-me o quanto quiseres, mas antes eu vou mergulhar, vou mergulhar em ti..."

AMEIIII!
LINDO!