Monday, 24 November 2008

O post do fim do ano

Há exatamente 1 semana de distância do mês de dezembro, mais precisamente, seis dias (pois já passa da meia-noite), resolvo fazer o meu post de fim de ano mas sem aqueles clichês de "reflita suas ações" e blá blá blás em geral. Não. Quero fazer um balanço bem humorado das coisas que me aconteceram (e das que não aconteceram também ¬¬').

Bom...fato importantíssimo e inesquecível, passível de punição se caso eu resolvesse não mencionar, foi o meu ingresso na faculdade. Não porque foi um ingresso na faculdade. Mas é porque eu tô cada dia mais apaixonada pelo meu curso. Tem gente que quer ser médico. Eu quero ser professora, what's the big problem? Tá...vou largar o bilingüismo literário por alguns minutos. Prometo.

Tá...ingressei na faculdade, consegui uma bolsa estágio em seguida...quê mais?

Me apaixonei, me desapaixonei, amei, desamei, percebi que hoje já não acredito em nem um terço das coisas que acreditava quando tinha lá meus 18, 20 anos, porém era bom quando eu acreditava. Ilusão também faz bem.

Fiz muitos amigos. Bebi muita cerveja, dei muita risada, dei muito beijo e fiz muito carinho. Cantei muito no chuveiro... eu e meu rádio que tocava mp3...agora estragou, coitado, mas muito ele me acompanhou até o banheiro e eu sempre gravava uma seleção específica de música para serem cantadas. E não saía do banho antes de terminar de cantar todas. Bons banhos aqueles de 3, 4 meses atrás. Eles ainda sobrevivem!

Quê mais? Hmm...li pra caramba! Comprei livro pra caramba! Viajei pra caramba, curti um monte de coisa tri que a faculdade me proporcionou. Tá, a vida gira em torno da FURG? Sim. Gira em torno da FURG. Que posso fazer?

Deixa eu pensar mais um pouquinho... fiz muita poesia! Divaguei bastante! Comecei o projeto de escrita conjunta com o pessoal do RPG. Que mais? Ah, o Le arrumou uma namorada. E tá feliz. E agora posso dizer que eu tinha razão quando dizia que ele tinha que esperar a hora certa chegar.

Que mais? Senti saudade do meu baixinho todo e cada dia...mas estou há 1 semana de ficar dias e dias e mais dias com ele sem me preocupar com a hora de partir.

Que mais? Percebi que certas coisas não valem a pena. E continuo acreditando que a melhor forma de sair do poço é chegando ao seu fundo. Aquele limite sabe? Com direito à música da Sinéad O'Connor tocando a todo pau e tu escondendo as giletes, as facas, as cordas, porque a dor é insuportável. Mas aí no outro dia tu vê que a vida é tri.

Que tu podes não ter uma coisinha aqui ou outra ali...mas tens amigos. Tens família. Tens cama macia pra dormir. Tem internet pra conversar com o pessoal, pra olhar o perfil dos meninos bonitos no Orkut e compartilhar com as amigas que trabalham em livrarias de quinta categoria... heheheh

Tu percebes que tens um amigo lááá do outro lado do mundo. Que sempre te atura. Sempre. E se irrita porque é amigo, mas que coisa, amizade é o princípio de tudo!

Tu percebes que tens um amigo aqui. Chato. Chato. Mas tão chato que é a pessoa mais essencial. Aquela que quando não tá ali, faz falta.

Tu percebes que pensas na tua melhor amiga de tempos em tempos e que poderias ter aproveitado a presença dela muito mais. Só que ela também pensa em ti. Daí a gente se encontra nessas.

Tu percebes que num dia chuvoso, nublado, um viagem de ônibus com a tua playlist fodona no mp4 pode tornar tudo um pouquinho mais fácil.

Tu percebes...ahh tu percebes! Que o tempo inteiro adormeces e acordas percebendo, tocando o mundo. E então os teus olhos se abrem. E observam o próximo mês, que vai chegar.

No comments: