Saturday, 31 December 2011

Minha vida é complicada, toda dividida em partes, cada fragmento em cada canto, gerando uma confusão interna que me consome todos os dias. E é nessas horas de se refletir sobre tudo, que tu pensa: quando serei inteira? Não tenho a resposta e parece tão longe. Como é esperado que eu esteja bem?

2 comments:

Nathaniel said...

Tu com certeza leste, mas vale a pena lembrar. No livro "Teoria da Literatura", do Eagleton, há uma parte bem interessante para tu pensares Quando ele trata da relação entre Literatura e Psicanálise, especificamente da questão do imaginário em Lacan, ele lança o seguinte:

"Na vida consciente conseguimos ter alguma noção de nós mesmos como entidades razoavelmente unificadas, coerentes, e sem isso a ação seria impossível. Mas tudo isso é apenas o nível "imaginário" do ego, que não é senão a ponta do iceberg do sujeito humano conhecido pela psicanálise. O ego é uma função ou efeito de um sujeito que está sempre disperso, que jamais é idêntico a si mesmo, dispersado ao longo das cadeias do discurso que o constituem."(grifo meu)

Ser "inteiro" é pura ilusão. Todos somos uma confusão interna coberta por um fina camada de unidade fictícia. Tens a sorte de ser consciente disso. ;)

F! said...

É a consciência disso que gera todo o conflito!