Tuesday, 5 April 2011

Aquilo que voa

O tempo olha para o lado contrário, enquanto voa nas asas de um desejo.
Volúveis, volvemos, rodamos no tempo, tão vulnerável tempo, também por conta de um sublime desejo!

O tempo empurra para a frente deixando sua terrível linda marca e ainda assim queremos voar juntamente com o tempo.

Temo o tempo mas que segurança me traz esse íntimo passageiro!

Voamos, parceiros no tempo. E segurados no vento, queremos viver.


2 comments:

Professor Mauro said...

Oi, estávamos falando do blog hoje, e vim dar uma olhada. Gostei, realmente de 'Aquilo que voa', em especial do último verso (é um poema? Acho que sim). Talvez pudesses melhorar algumas coisas, mas estás no bom caminho.
Abraço do
Mauro.

F! said...

nem quero mudar nada profe... isso aqui são só disparates pra fugir um pouco do que me aflige...