Monday, 21 December 2009

estrelas, que não se contentam estrelas
que de tão estrelas, se apagam
rios, que não se contentam rios,
que de tão correntes, estacionam
estradas, que não se contentam estradas
que de tão retas, viram crateras
olhos, que não se contentam olhos
que de tão brilhantes, apagam (assim como as estrelas)
insônia, que não se contenta insônia
que de tão acordada, sonha
amor, que não se contenta amor
que se transborda inteiro de amor
que se faz e desfaz, re-inventa, se desdobra amor
que de tanto amor, pra sempre fica
pra nascer e morrer
e voltar de novo, amor.

1 comment:

Phyhernandes said...

Lindo, lindo, lindo... Que sempre exista a transformação. :)