Wednesday, 15 July 2009

todo mundo tem uma lacuna. seja grande ou pequena, todo mundo tem.

todo mundo tem um abismo, um lado negro da lua, todo mundo tem um poço sem fundo, todo mundo tem medo do escuro.

todo mundo dança sozinho no quarto, todo mundo ri que nem louco para o espelho. todo mundo grita quando acorda no frio, todo mundo chora de desespero.

todo mundo se embala na música, todo mundo um dia já quis ser canção. todo mundo se perde no vento. todo mundo já pensou em escrever sobre todo mundo, mas todo mundo são todos tão iguais.

e em todo o mundo cada qual, cada um me encontro não nos olhos de um ou dois mas no fundo dos meus próprios porque agora reconheço-os como sendo meus.

2 comments:

Leonardo said...

:) Nice!

Paulo Olmedo said...

Muito bom! Estás evoluindo (no mínimo, andas lendo o meu blog :P)...