Sunday, 14 June 2009

E tens a incansável busca dentro de ti.

Silenciosa? Não, não ousaria chamar isso aí de silêncio. Porque choras...quando fere. Porque gritas...quando perdes. Porque te recolhes na tua cama e nada mais queres, quando se despede.

Vazio? Desde quando poder-se-ia chamar um vácuo esmagador de vazio! Uma vez que preenche tão cautelosamente cada canto do teu corpo...todos com uma grande interrogação. Interrogação sobre o que és, o que fazes e o que procuras. Um grande e terrível ponto de interrogação. Temes o final, procuras por exclamações.

Gritos. Suspiros e saudades. Tudo o que eu sinto, é só...

(...)

"this empty feeling for everything..."


No comments: